Decisão de juíza é um duro golpe no projeto do PT

autor Misto Brasília

Postado em 12/07/2018 07:25:52 - 07:22:00


Partido queria que Lula mesmo preso tivesse uma agenda midiática/Arquivo

Partido queria que o ex-presidente fizesse vídeos eleitorais e concedesse entrevistas à Imprensa

A juíza responsável pela execução penal do ex-presidente Lula, Carolina Moura Lebbos, negou pedidos de entrevistas de emissoras e jornais ao ex-presidente Lula da Silva.

Por mais que a palavra final sobre a condição de Lula seja do Tribunal Superior Eleitoral, que deverá se pronunciar sobre a situação do petista perante a Lei da Ficha Limpa – que torna inelegíveis candidatos condenados por órgão colegiado –, a decisão da juíza é um duro golpe na narrativa construída pelo petismo nesses 96 dias de prisão de Lula, segundo publicou a Folha de São Paulo.

O ex-presidente queria um salvo-conduto para deixar o xadrez, pegar um avião e subir no palanque em São Paulo. O veto da juíza foi acertado. Lula foi condenado e cumpre pena em regime fechado.

O PT tem mantido o nome de Lula como presidenciável. O partido alega que ele tem direito de gravar vídeos para ser usado na campanha, porque ele não está com seus direitos políticos suspensos. 


Presidenciável Ciro Gomes chega na convenção do PDT
Surfista "pesca" com as mãos tainhas na praia da Laguna (SC)
veja +
Cristovam Buarque propõe fim do auxílio-moradia para parlamentares e juízes
Comissão do Senado aprovou regulamentação da profissão de cuidador
Câmara aprova proposta que regulamenta produção e comercialização de queijo artesanal
veja +