Quadrilha de Sérgio Cabral usou bitcoin para lavar dinheiro

autor Misto Brasília

Postado em 13/03/2018 17:59:47 - 17:54:00


Receita Federal descobriu que as propinas no Rio eram lavadas com o bitcoin/Arquivo

A descoberta da Receita Federal foi revelada hoje após uma operação realizada nesta terça-feira

A nova fase da operação Lava Jato no Rio de Janeiro, que prendeu nesta terça-feira um ex-secretário de Administração Penitenciária do Estado e um delegado da Polícia Civil por desvios de recursos no sistema prisional, descobriu pela primeira vez operações envolvendo bitcoin para lavagem de dinheiro, informou a Receita Federal, segundo publicou a agência Reuters. O esquema também distribuía dinheiro (sem um percentual definido), para o ex-governador Sérgio Cabral, que está preso num presídio do Paraná.

As autoridades identificaram pagamentos que totalizam 300 mil reais por meio de transações com bitcoin no exterior, o que poderia ser um “teste” em busca de novas formas de burlar as fiscalizações, de acordo com o superintendente-adjunto da 7ª Região Fiscal da Receita Federal, Luiz Henrique Casemiro.

“Nos chamou a atenção na Receita Federal, com relação a essa operação específica, porque pela primeira vez aparecem operações envolvendo bitcoin. Isso é uma novidade, mostra que as pessoas estão tentando sofisticar de alguma forma, talvez voar abaixo do radar da Receita Federal e do Banco Central”, disse Casemiro em entrevista sobre a nova fase da operação.

“A ideia eu tenho a impressão que é tentar receber dinheiro no exterior usando esse instrumento, que não é regulado na maior parte dos países. Então é algo que nos chama a atenção, é bastante interessante”, acrescentou.


Tite cai na comemoração do gol de Philipe Coutinho e vira meme na internet
AO VIVO - II Congresso de Direito Eleitoral de Brasília
veja +
Bolsa Família atende 74.122 famílias do Distrito Federal em junho
Distrito Federal recebe R$ 28 milhões do salário-educação de maio
Aprovada reserva de vagas em universidades públicas para alunos bolsistas de escolas beneficentes
veja +