Um novo olhar com estreia de Mulher Maravilha

autor Misto Brasília

Postado em 02/06/2017 11:26:55 - 11:24:00


Gal Gadot no papel de Mulher Maravilha/Arquivo/Divulgação

Há um visível esforço da diretora para livrar-se das amarras da cartilha de filmes de heróis

Ao longo dos 140 minutos de “Mulher-Maravilha” ninguém chama a personagem por esse nome. Dessa forma, o filme dirigido por Patty Jenkins (“Monster – Desejo Assassino”), como todo primeiro solo de super-heróis, é um filme de formação. É sobre a transformação de Diana (mais tarde, Diana Prince) na heroína que todos conhecemos.

Há um visível esforço de Patty Jenkins para livrar-se das amarras da cartilha de filmes de heróis. Embora ela não seja conhecida como uma diretora com uma assinatura e estilo fortes, consegue sutilmente introduzir algumas mudanças num universo saturado de testosterona. Entre elas, está a forma como sua câmera enquadra a protagonista: Diana aparece sempre como a figura ativa, liderando a ação.

Ainda assim, “Mulher-Maravilha” conta com vários elementos que marcam o gênero: câmera lenta em cenas de luta, uma forçada batalha final e uma trama um tanto confusa. Por outro lado, há algo de mágico na personagem e em Gal Gadot, que passa o filme todo com cara de surpresa e coragem. O filme entrou em cartaz ontem. (Alysson Oliveira, do Cineweb)


Maia diz que trabalha com "total harmonia" com o Executivo
Anfip e Fenafisco fazem parceria para uma reforma tributária ampla
veja +
Álvaro Dias detecta corporativismo na contramão do que quer a sociedade brasileira
Walter Pinheiro, sem partido, ex-petista, votou pelo afastamento de Aécio Neves
Cássio diz que Aécio será julgado e Eunício argui que não houve espírito de corpo
veja +